A imprensa esportiva americana explodiu hoje com o teste positivo para o cavalo Medina Spirit vencedor do famoso e icônico Kentucky Derby no dia 1o de maio. O teste foi comunicado ontem, mas explodiu hoje com o resultado feito pós-corrida indicando a presença de 21 picogramas do corticosteroide Betametasona.

Medina Spirit ainda não foi desclassificado da sua vitória no Kentucky Derby, para isso acontecer a amostra B precisa ser analisada. Se der positivo, será a terceira vez em 147 anos de história da corrida mais famosa do turfe mundial com um cavalo dopado sendo desclassificado. A última vez que isso havia acontecido foi em 1968.

Pior situação que o Medina Spirit está o treinador Bob Baffert, a vitória tinha sido a sua sétima no Kentucky Derby, mas o doping passa a ser o quinto de um de seus cavalos no último ano.

Um dos cavalos de Baffert, Gamine testou positivo para a mesma substância no ano passado.

Enquanto a decisão de Medina Spirit ainda não sai, Baffert já está proibido de acessar ao Churchill Downs, hipódromo de Louisville, onde aconteceu a prova em questão. Caso venha a ser desqualificado, o novo vencedor do Kentucky Derby 2021 será Mandaloun.

O Congresso Americano aprovou uma lei “Horse Racing Integrity and Safety Act” (link) que entra em vigor em 1o de julho de 2022. Com regras bem mais específicas, e duras, o doping nos cavalos vai ser tão duro quando o doping no esporte olímpico, onde, pela nova lei (Rodchenkov Act) pode até resultar em prisão.

1 responder
  1. Sandro
    Sandro says:

    Se fosse um CAVALO MARINHO CHINÊS, estaria nadando lado a lado de SUN YANG, que conseguiu, IMORALMENTE, escapar das punições até o momento…

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *