O nome dela é Zhou Jihong, primeira campeã olímpica da China de Saltos Ornamentais, depois treinadora, depois dirigente, e hoje ocupa a vice presidência da FINA.

Jihong foi denunciada pela Nova Zelândia por seu comportamento autoritário e abusivo durante os Jogos Olímpicos de Tóquio, no ano passado. O caso que já foi parar no Comitê de Ética da FINA, ainda foi ampliado com inúmeras reclamações de comportamento inadequado e até mesmo influência na atuação dos árbitros em favor de seu país.

A FINA já determinou, através de seu Comitê de Ética, uma carta de retratação, mas a pressão internacional contra a dirigente segue. Hoje a CNN fez uma publicação em detalhes de todo processo, coisa que a FINA com certeza não deve ter gostado.

É incontestável que a entidade vive um novo momento em relações públicas e referências positivas nos noticiários internacionais, e tal tipo de cobertura lembra muito o que acontecia nas gestões anteriores.

Veja aqui a matéria da CNN:

https://www.cnn.com/2022/05/11/sport/zhou-jihong-diving-fina-spt-intl/index.html?fbclid=IwAR2ZChh2LHbrZiZ4hCDK3Ta0MzTGux0KkfSA4YY5xOD39C7nA8eZu4OdqP4

2 respostas
  1. Sandro
    Sandro says:

    Uma dirigente corrupta e tendenciosa que pressiona árbitros para dar notas altas para seus protegidos deveria ser afastada IMEDIATAMENTE da diretoria de FINA!!!
    Isso é VEXAME ENORME para a FINA!!!

    Responder
    • Alex Pussieldi
      Alex Pussieldi says:

      Sandro, isso que você está mencionando não ficou configurado após a investigação do Comitê de Ética. Não há comprovação do que você aponta por isso ela apenas teve de escrever a carta de retratação pela atitude abusiva perante a representante da Nova Zelândia.

      Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.