Três medalhas fecharam a melhor participação da história do Brasil na natação dos Jogos Paralímpicos no Rio 2016. Recorde de participação de atletas (34), de finais (61), de medalhas (19) e a consagração de Daniel Dias como o maior medalhista destes Jogos e o maior medalhista da história da natação paralímpica.

Daniel venceu, com facilidade, os 100 metros nado livre marcando 1:10.11. Assim como em todas as suas vitórias nas provas de livre (50,100 e 200), foi fácil. O americano Roy Perkins que bateu o brasileiro nos 50 borboleta levando o ouro, ficou em segundo nos 100 livre num distante 1:14.55, mais de quatro segundos atrás. A marca de Daniel ficou a dois segundos do seu melhor, o recorde mundial estabelecido nos Jogos de Londres em 2012 com 1:08.39.

Daniel liderou a prova toda, saiu bem (0.79 de reação), passou na frente com 33.69 e voltou com 36.52. Na abertura do revezamento 4×100 livre, Daniel havia nadado melhor para 1:09.86. A medalha foi a nona de Daniel nestes Jogos, fazendo do brasileiro o maior medalhista da competição com quatro de ouro, três de prata e duas de bronze.

Na soma, em três Paralimpíadas, Daniel chegou a 24 medalhas passando a ser o maior medalhista da natação paralímpica. O recordista anterior era o australiano Matthew Cowdrey que parou nas 23. Entre as mulheres, a americana Trischa Zorn lidera com 55 medalhas, sendo 41 de ouro.

Logo após o ouro de Daniel, veio o bronze de Joana Neves na prova dos 100 metros nado livre classe S5 feminino. Joana passou forte com 38.79 já na terceira colocação, caiu bastante no final, mas em condições de terminar em terceiro lugar com 1:23.21, novo recorde das Américas e primeira vez abaixo da barreira dos 1:24. Foi sua terceira medalha nestes Jogos.

14324201_1367466466615653_4768765106656054887_o

A chance de medalha no último revezamento era difícil. A pressão era abrir com Daniel Dias, um classe S5, que mesmo sendo Daniel Dias iria entregar bem atrás. E assim foi, mas Daniel correspondeu e bateu o seu único recorde mundial da competição com 1:16.24. O Brasil estava em sétimo quando Ruan de Souza pulou na água. E ficou em sétimo com o parcial de peito de 1:12.76. André Brasil fez o parcial de borboleta para 57.04 e entregou na quinta colocação. Ucrânia e China lá na frente, a briga seria por um bronze. Phelipe Rodrigues pulou na água e passou forte com 24.24 e voltou para 51.47 na terceira colocação. O tempo 4:17.51 novo recorde das Américas, e pela primeira vez o revezamento 4×100 medley 34 pontos subiu ao pódio paralímpico.

As emoções do dia ainda não terminaram. Daniel Dias quebrou o protocolo levando o Presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro Andrew Parsons ao pódio, para tê-lo ao seu lado e escutar o hino nacional da sua premiação dos 100 metros nado livre. Momentos depois, era a vez de homenagear o Tubarão das Piscinas. Clodoaldo Silva que fez a sua despedida oficial foi reconhecido pelos companheiros, pelo Presidente Parsons e por todos nadadores presentes e o público que foi a loucura gritando o seu nome.

A natação paralímpica foi recheada de emoções. Foram 10 dias de dezenas de recordes mundiais e paralímpicos. Não teve uma só etapa com recordes batidos. Competição forte e que o Brasil terminou com 19 medalhas, quatro de ouro, sete de prata e oito de bronze. Ficamos em nono lugar, caímos na colocação geral pela falta de ouros, mas crescemos de forma impressionante no número de finais, de medalhas e de novos atletas. A melhora de tempos foi impressionante. Foram 52 novas melhores marcas pessoais.

Outros resultados dos brasileiros:
50 livre S12 masculino – Thomaz Matera 8o 25.12
50 livre S4 masculino – Ronystony Cordeiro 8o 43.51
50 livre S4 feminino – Patricia Pereira dos Santos 6o 43.92
100 livre S5 masculino – Clodoaldo Silva 8o 1:20.80

Vencedores das provas da última etapa:
100 livre S6 masculino – Lorenzo Perez Escalona de Cuba 1:05.37
100 livre S6 feminino – Yelyzaveta Mereshko da Ucrânia 1:11.40 recorde mundial
200 medley SM8 masculino – Oliver Hynd da Grã-Bretanha 2:20.01 recorde mundial
200 medley SM8 feminino – Jessica Long dos Estados Unidos 2:40.23
50 livre S12 masculino – Maksym Veraksa da Ucrânia 23.67
50 livre S12 feminino – Hannah Russell da Grã-Bretanha 27.53
50 livre S4 masculino – Gi Seong Jo da Coreia do Sul 39.39
50 livre S4 feminino – Rachel Watson da Austrália 40.13 recorde paralímpico
100 costas S13 masculino – Ihar Boki de Belarus 56.68 recorde mundial
100 costas S13 feminino – Anna Stetsenko da Ucrânia 1:08.30 recorde paralímpico
100 livre S5 masculino – Daniel Dias do Brasil 1:10.11
100 livre S5 feminino – Li Zhang da China 1:18.85
200 medley SM14 masculino – Marc Evers da Holanda 2:10.29 recorde paralímpico
200 medley SM14 feminino – Bethany Firth da Grã-Bretanha 2:19.55 recorde paralímpico
4×100 medley 34 pontos masculino – China 4:06.44 recorde paralímpico

Link para os resultados completos:
https://www.rio2016.com/paralimpiadas/natacao-calendario-e-resultados/dia-17

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *