Cesar Cielo conseguiu seus melhores tempos e maiores conquistas na década passada (2008-2009), mas o Painel de Especialistas ainda reconheceu o maior velocista da história do Brasil pelo seu bronze nos 50 livre dos Jogos Olímpicos de Londres em 2012 e pelas cinco medalhas em Mundiais de Longa, os quatro ouros nos 50 livre e 50 borboleta dos Mundiais de Barcelona e Kazan, além da prata no revezamento 4×100 metros nado livre do Mundial de Budapeste.

 

 

Cielo se tornou no primeiro (e único) tri campeão mundial dos 50 metros nado livre nesta década e ainda mantém da década passada os recordes mundiais dos 50 e 100 livre, além do recorde olímpico dos 50 livre desde Beijing em 2008.

No Campeonato Mundial de Hangzhou, em 2018, Cesar Cielo se tornou no maior esportista brasileiro com maior número de medalhas em Campeonatos Mundiais. Combinando os Mundiais de Longa e Curta são 19 medalhas no total.

 

 

A década 2011-2020 também foi cheia de desafios para Cielo. Foi a década da instabilidade e constante troca de treinadores, até de clube. Foi a década que teve de enfrentar um caso de doping onde acabou advertido e uma dupla cirurgia nos joelhos. Tudo isso enriquece e engrandece ainda mais suas conquistas, seus feitos.

Falar de Cesar Cielo é fator de orgulho nacional. Sua carreira, seu trajetória e sua influência no nosso esporte é determinante e inquestionável. Ainda com o futuro incerto, e sendo o melhor nadador brasileiro das duas últimas décadas não custa sonhar que ele possa estar no time de Tóquio para aquela que seria sua quarta e derradeira Olimpíada.

 

 

Melhor Nadador do Brasil na Década é Cesar Cielo. 

Também foram nominados e votados pela ordem: Thiago  Pereira e Bruno Fratus.

Veja o bi e o tri mundial dos 50 metros nado livre de Cesar Cielo:

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *