Quatro profissionais foram selecionados para o Troféu de Melhor Treinador Paralímpico da Década no Brasil e, todos eles, responsáveis por grandes resultados acabaram sendo votados pelo Painel de Especialistas. Foi das disputas mais equilibradas da edição 2020 do Troféu Best Swimming  e deu ao técnico Marcos Rojo Prado a maior votação.

 

 

Marcão foi o treinador de Daniel Dias no período de 2011 a 2017 nesta década. O próprio Marcão  destaca que 2010 foi o um ano muito especial, com grandes conquistas, mas não puderam aqui ser consideradas. A dupla Daniel e Marcão fez sucesso e estiveram juntos até as vésperas do Campeonato Mundial do México em 2017 incluindo aí as campanhas dos Jogos Paralímpicos de 2012 e 2016, os Mundiais de 2011, 2013, 2015 e 2017.

O trabalho do técnico é ter a capacidade de identificar características de seus atletas e desenvolver o programa mais adequado para eles. Na natação paralímpica tem um elemento a mais neste processo, é de lidar com diferentes deficiências e entender as limitações fazendo os ajustes e adaptações.

 

 

Ser técnico é uma arte, ser técnico paralímpico incrementa ainda mais este lado artístico e de sensibilidade no trabalho.

Marcos Rojo Prado é o Treinador Paralímpico da Década no Brasil. 

Também foram nominados e votados pela ordem: Leonardo Tomasello Araújo, Fabiano Quirino e Felipe Domingues.

1 responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *