Na Itália isso é bastante recorrente.

Por anos, e ainda segue, a disputa do investimento que foi feito na organização do Campeonato Mundial dos Esportes Aquáticos de Roma, em 2009.

Agora, este ano tem Campeonato Europeu dos Esportes Aquáticos, e novas acusações, disputas em tribunais e suspeita de dinheiro desviado.

Por enquanto, a Federação Italiana de Natação vai perdendo a disputa judicial. Veja o texto publicado no site da entidade:

A Federação Italiana de Natação toma nota com grande surpresa da publicação da sentença do Tribunal de Contas em recurso sobre o uso dos fundos recebidos do M.E.F. para as obras de manutenção e modernização das piscinas do Foro Italico. Em primeira instância, o mesmo Tribunal, com a sentença n.113 de 2020, havia excluído muito claramente qualquer hipótese de aquisição e uso incorretos de fundos pela Federação Italiana de Natação.

Para além da incompetência do Tribunal que a Federação Italiana de Natação se reserva o direito de fazer valer perante o Tribunal de Cassação, é evidente o manifesto erro de facto em que se baseia a sentença que acaba de ser publicada.

A Polícia, que defende a Federação Italiana de Natação, no entanto, aponta que nestas hipóteses de erro factual o sistema processual permite a revogação e está plenamente confiante de que o mesmo Tribunal de Contas poderá revogar esta última decisão, precisamente em relação à situação factual real e a plena exatidão do trabalho da Federação Italiana de Natação.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.