Sexto dos oito dias de competição da Seletiva Americana em Omaha, Nebraska. Michael Phelps e Ryan Lochte garantiram suas presenças na prova dos 200 medley pela quarta Olimpíada consecutiva. Menos sorte teve Tyler Clary, campeão olímpico dos 200 costas que terminou a seletiva americana em terceiro e fora do Rio 2016.

50 livre masculino –
Foram quatro 21s nas eliminatórias, quatro na semifinal. Na verdade foram três e mais um no desempate. Anthony Ervin, segundo o melhor das eliminatórias com 21.76, foi o melhor da semi com 21.55. Nathan Adrian que nadou na mesma série de Ervin em segundo com 21.60. Cullen Jones venceu a segunda série com 21.93. Caeled Dressel que havia sido o mais rápido da manhã com 21.76, agora foi o quinto com 22.04.
Tivemos um empate entre William Copeland e Josh Schneider em séries diferentes com 22.13 em oitavo lugar. No desempate, melhor para Schneider nadando pela primeira vez para 21, 21.84 contra 22.09 de Copeland.
No USA Olympic Trials de 2012, Ervin também foi o mais rápido das semifinais, na oportunidade com 21.74 e foram quatro nadando abaixo dos 22 segundos. Na final, Cullen Jones venceu 21.59 e Anthony Ervin foi segundo 21.60.

200 peito feminino –
A prova mais fraca da seletiva americana. Com quatro nadadoras chegando na casa dos 2:24, Lilly King, vencedora dos 100 peito, levou os 200 com 2:24.08 e Molly Hannis atacando no final a segunda vaga com 2:24.39. Perto, mas fora, Bethany Galat 2:24.52 e a favorita Micah Lawrence, 6a colocada na final desta prova em Londres 2012, em quarto com 2:24.93.
Lilly King nadou o tempo todo na frente parciais de 32.18, 1:09.16 (36.98), 1:46.81 (37.65) e 2:24.08 (37.27). O tempo de Lilly King coloca ela apenas na 18a posição do ranking mundial de 2016.
Em 2012, este tempo não pegava nem a segunda vaga. Rebecca Soni venceu com 2:21.13 e Micah Lawrence ficou em segundo com 2:23.03.

200 costas masculino –
Mais um campeão olímpico que fica de fora do Rio 2016. Tyler Clary não conseguiu nem ameaçar a juventude de Ryan Murphy e Jacob Pebley, absolutos desde o início e donos das duas vagas para o Rio.
Murphy venceu com 1:53.95, sua melhor marca pessoal, e segundo tempo do mundo em 2016, apenas cinco centésimos atrás de Mitchell Larkin e seus 1:53.90 feitos na seletiva australiana em abril.
Pebley foi segundo com 1:54.77, também nadando a sua melhor marca pessoal, pela primeira vez abaixo dos 1:55. Tyler Clary ficou em terceiro com 1:55.33.
Ainda na zona mista, Clary anunciou a sua aposentadoria do esporte. O nadador já havia declarado que após o Rio se dedicaria a carreira de piloto. Seu sonho é chegar a NASCAR.
Parciais dos dois classificados e dois estreantes em Jogos Olímpicos, companheiros de Universidade da Califórnia e treinando sob o comando de Dave Durden:
Murphy – 27.06, 55.46 (28.40), 1:24.27 (28.81), 1:53.95 (29.68)
Pebley – 27.04, 55.84 (28.80), 1:25.08 (29.24), 1:54.77 (29.69)
Veja como foram os parciais de Tyler Clary:
27.29, 56.29 (29.00), 1:25.67 (29.38), 1:55.33 (29.66)

200 costas feminino semifinal –
Sete das oito finalistas nadaram abaixo dos 2:10. Duas na casa dos 2:08, melhor tempo para Maya Dirado com 2:08.14 seguida por Missy Franklin 2:08.63. Top 8 foi Erin Voss com 2:10.06.
Foi o melhor de Missy neste ano superando os 2:08.77 que havia feito no Arena Pro Swim Series de Orlando, mas apenas 12o tempo do mundo. Maya nadou melhor o Arena Pro Swim Series de Austin com 2:08.19.
Com as duas juntas na final de amanhã a expectativa é de um 2:06 o que coloca na briga pelo ranking mundial. O melhor tempo de 2016 é da australiana Belinda Hocking 2:06.49.
Comparando os parciais de Maya e Missy:
Maya – 30.67, 1:02.87 (32.20), 1:35.30 (32.43), 2:08.14 (32.84)
Missy – 30.47, 1:02.97 (32.40), 1:35.77 (32.90), 2:08.63 (32.86)

200 medley masculino –

CmU7fMRVUAEngf8
Uma disputa histórica e que nos acostumamos a ver por mais de 10 anos. Michael Phelps 1:55.91 e Ryan Lochte 1:56.22, como esperado, dominaram os 200 medley, do início ao fim. Os dois classificados em marcas que lhes colocam como segundo e terceiro do mundo em 2016. Na frente dos dois, apenas o japonês Kosuke Hagino e os 1:55.07 feitos na seletiva japonesa.
Na briga da prova por parciais:
Phelps – 25.05, 53.96 (28.91), 1:27.64 (33.68), 1:55.91 (28.27)
Lochte – 25.19, 54.03 (28.84), 1:27.83 (33.80), 1:56.22 (28.39)
Os dois nadaram melhor no ano passado. Phelps não foi ao Mundial de Kazan, mas fez o melhor tempo do mundo no Campeonato Americano com 1:54.75. Lochte venceu em Kazan com 1:55.81.
A diferença dos dois para o resto foi incrível, quase três segundos. David Nolan chegou em terceiro com 1:59.09.
Phelps e Lochte são os dois maiores nomes da história dos 200 medley. Dos 10 melhores tempos do mundo em todos os tempos, cinco são de Phelps, outros cinco de Lochte.

100 livre feminino –
US Open recorde para a jovem Abbey Weitzeil de 19 anos com 53.28. Liderando desde a saída, Weitzeil passou na frente 25.38 e voltou 27.90 para vencer com 53.28. O recorde era da australiana Cate Campbell que venceu o GP de Santa Clara em 2008 com 53.30.
Simone Manuel em segundo, melhor na saída de bloco, marcou 53.52 ganhando a segunda vaga para a prova. As duas que completam o revezamento foram Amanda Weir, recordista americana desde 2009 (53.02), com 53.75 e Lia Neal 53.77.
As reservas foram Allion Schmitt 53.87 e Dana Vollmer com 53.92. Katie Ledecky ficou na sétima posição com 53.99, fora do 4×100 livre.
Os 53.28 de Weitzeil representam sétimo tempo do mundo em 2016. Na atual temporada são quatro nadadoras abaixo dos 53 segundos, três delas australianas. A melhor é Cate Campbell com 52.38 feitos no Japão Open. Por falar nela, nas eliminatórias do Grand Prix de Brisbane na manhã de sábado marcou 52.97.
Parciais das quatro classificadas para o Rio 2016:
Weitzeil – 25.38, 27.90, 53.28
Manuel – 25.45, 28.07, 53.52
Weir – 25.92, 27.83, 53.75
Neal 26.19, 27.58, 53.77

100 borboleta masculino semifinal –
Michael Phelps teve 25 minutos de intervalo após a vitória no medley para nadar a primeira série dos 100 borboleta semifinal. Ficou em terceiro na série com 51.83 e sexto no geral. Foram seis nadadores abaixo dos 52 segundos.
O melhor da semifinal foi Seth Stubblefiedl 51.26 que com o tempo passa ser o quarto do mundo em 2016.
Todos os 51s:
Stubblefield 51.26, Tim Phillips 51.28, Tom Shields 51.49, Jack Conger 51.49, Matthew Josa 51.72, Michael Phelps 51.83.
Parciais de Phelps 24.30, 27.53, 51.83.
Dos oito finalistas, Phelps passou com o sexto tempo e teve a sexta melhor volta. Terminou em sexto lugar. Com o fato do descanso de apenas 25 minutos, não poderia ser melhor. Amanhã vamos ver todo o potencial dele. No ano passado, Phelps terminou o ano como o número um do mundo com 50.45.

Link para todos os resultados:
http://omegatiming.com/Competition?id=0001100003FFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFF&day=6

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *