Penúltimo dia de competição, destaque para Michael Phelps cumprindo sua meta, terceira prova individual. Tensão para os 50 livre masculino e a decisão por um centésimo e o recorde mundial de Katie Ledecky que não saiu.

200 costas feminino –
Maya Dirado com 2:06.90 e Missy Franklin 2:07.89 são as duas classificadas. Dirado esteve sempre e a frente de Missy, e nunca foi ameaçada. Na abertura dos primeiros 50 metros, Amy Bilquist foi a mais rápida com 30.14. A partir daí Maya Dirado tomou a frente para não perder mais. Missy virou até os primeiros 100 metros na quarta posição e só passou para segundo nos 150. Mesmo assim garantiu a segunda vaga com apenas 31 centésimos a frente de Lisa Bratton e 41 centésimos a frente de Bilquist.
Parciais das duas classificadas:
Maya Dirado – 30.32, 1:02.25 (31.93), 1:34.30 (32.05), 2:06.90 (32.60)
Missy Franklin – 30.43, 1:02.81 (32.38), 1:35.15 (32.34), 2:07.89 (32.74)
Elizabeth Beisel estava na briga, mas a fratura no dedo tirou suas chances. Beisel terminou em sétimo lugar com 2:11.12, pior do que havia feito nas eliminatórias 2:10.01 e 2:09.81 nas semifinais. Uma seletiva um tanto complicada para Beisel. Conseguiu a vaga nos 400 medley como segundo nadadora, isso depois de estar três dias hospitalizada com uma forte virose quando faltavam duas semanas para a seletiva. Beisel, vai para a sua terceira Olimpíada, nada apenas os 400 medley, na mais difícil classificação até hoje.
Os 2:06.90 de Dirado coloca ela como quarto tempo do mundo este ano. Na sua frente pela ordem, Belinda Hocking 2:06.49, Emily Seebohm 2:06.59 e Katinka Hosszu 2:06.88.
Os 2:07.89 colocam Missy na nona posição do ranking de 2016. Vale lembrar que ela é a atual recordista mundial da prova com 2:04.06. No ano passado, Missy terminou a temporada como terceira do mundo com 2:06.34.
Com o resultado, Maya Dirado vai ter três provas no Rio: 200 e 400 medley e 200 costas, enquanto Missy Franklin vai ter três: 200 livre, 200 costas, 4×200 livre.

100 borboleta masculino –
Missão cumprida para Phelps! Michael Phelps confirmou as suas três provas individuais no Rio vencendo os 100 borboleta em USA Olympic Trials pela terceira vez (2008, 2012 e 2016). Em 2004 ele foi derrotado por Ian Crocker.
Phelps passou em quarto lugar com 24.06 e voltou com 26.94 para vencer com 51.00. Tom Shields foi segundo com 51.20 e teve uma volta melhor que Phelps com 26.90.
A prova teve seis nadadores abaixo dos 52 segundos seguindo por Seth Stubblefield 51.24, Jack Conger 51.26, Tim Phillips 51.44 e Matthew Josa 51.86. O campeão panamericano no ano passado, Gilles Smith fechou raia com 53.56.
Parciais dos dois classificados para o Rio:
Michael Phelps 24.06, 26.94, 51.00
Tom Shields 24.30, 26.90, 51.20
No ranking mundial de 2016, Phelps fez o segundo tempo do mundo. Na sua frente apenas o húngaro Laszlo Cseh com 50.86 feitos no Campeonato Europeu, o único nadador abaixo dos 51 segundos. No ano passado, Phelps foi o melhor do ranking mundial com 50.45 feitos no Campeonato Americano. Foram quatro nadadores abaixo dos 51 segundos em 2015.

800 livre feminino –
A expectativa de recorde mundial existia e Katie Ledecky mais uma vez saiu muito intensa. Não é muito rápida e sim intensa. E novamente cansou.Fez 8:10.32, terceiro tempo da história, mas executado de forma bem mais forte do que a marca das eliminatórias de 8:10.91. Na diferença dos parciais, nas eliminatórias 4:05.43 e 4:05.48, na final 4:02.21 e 4:08.11.
Um detalhe que ficou evidente foi uma intensidade menor na ação de pernas de Ledecky. Embora tenha ido em busca do recorde mundial, pareceu já estar focada no programa do Rio 2016, com menos intensidade.
Melhor marca pessoal e terceiro tempo do mundo para Leah Smith que vai ser companheira de Ledecky nos 400 livre e também no revezamento 4×200.
Stephanie Peacock ficou na terceira colocação com 8:24.71 e a já classificada para o Rio pelas águas abertas, Haley Anderson, ficou na sétima colocação com 8:33.66.
Parciais de Katie Ledecky a cada 100:
57.83, 1:58.75, 3:00.38, 4:02.21, 5:04.13, 6:06.46, 7:09.31, 8:10.32.

50 livre masculino –
Um centésimo, apenas um centésimo separou Nathan Adrian de Anthony Ervin, os dois classificados respectivamente com 21.51 e 21.52. Ex-companheiros de treino, Ervin optou por fazer a preparação final com David Marsh, os dois se conhecem bem e além de disputar a prova dos 50 estarão juntos no revezamento 4×100 livre.
A melhor saída, e que saída, foi de Cullen Jones que terminou na terceira colocação com 21.75. Caeleb Dressel, grande destaque da temporada do NCAA na prova das 50 jardas livre ficou em quarto lugar com 21.80. Josh Schneider foi o quinto 21.95, Michael Chadwick 21.96 e Jimmy Feigen em sétimo fazendo o último 21 da prova com 21.99.
Anthony Ervin vai para a sua terceira Olimpíada (2000, 2012 e 2016) e nas três vai disputar a prova dos 50 livre. Nathan Adrian vai para a sua terceira Olimpíada e a primeira em que vai disputar a prova dos 50 livre.
Na seletiva de 2012, Cullen Jones foi o campeão com 21.59, desta vez ficaria em terceiro. A prova de 2012 também foi decidida por um centésimo com Anthony Ervin chegando em segundo com 21.60. Na época, Nathan Adrian foi terceiro com 21.68 e tivemos cinco nadadores abaixo dos 22 segundos.

50 livre feminino –
Top 8 para para Amanda Weir com 25.08. Foram seis nadadoras na casa dos 24 segundos. A melhor Abbey Weitzeil, campeã dos 100 livre, marcando 24.34. Madison Kennedy ficou em segundo com 24.39. Melhor saída foi de Olivia Smoliga que classificou com o quinto tempo com 24.84.
Em 2012, para chegar a final Lara Jackson entrou com o oitavo tempo de 25.27. Na final, a vencedora foi Jessica Hardy com 24.50.

Link para todos os resultados:
http://omegatiming.com/Competition?id=0001100003FFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFF&day=7

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *