Uma das melhores histórias da Paralimpíada. Uma mãe solteira, avó, 39 anos de idade, tetraplégica vítima de um tiro que levou em um assalto. Tudo isso fica ainda mais dramático pela dificuldade, pelo esforço diário de sair de Colatina, no Espírito Santo encarar oito ônibus para fazer a rotina de fisioterapia, preparação física e o treinamento de piscina.

Tudo isso é Patricia Pereira dos Santos, vencedora do prêmio Revelação Paralímpica de 2016. Ganhou pouco mais de 50% dos votos do Painel de Especialistas concorrendo contra Ruan de Souza, o peito do revezamento 4×100 medley que o Brasil sempre batia na trave e terminou com o bronze, com Beatriz Carneiro, finalista paralímpica em duas provas, e com Maiara Regina Ferreira Barreto, que fazendo sua primeira competição pela Seleção Principal chegou a final.

29650219766_65acb56bab_k_akiyatg

Patricia nadou o revezamento 4×50 livre misto nas eliminatórias e ganhou a sua medalha de prata dois dias depois da prova. Nas provas individuais, seu melhor resultado veio com um quinto lugar na prova dos 50 peito. Sempre bem humorada, Patricia é energia pura e o Rio 2016 só serviu de motivação para mais dedicação ao que ela mesmo diz, a natação paralímpica mudou sua vida.

trofeu-best-swimming-patricia-pereira

Patricia Pereira dos Santos, REVELAÇÃO DA NATAÇÃO PARALÍMPICA.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *