Menos de 1% da população na China celebra ou até conhece o Natal. Somente nas cidades grandes existem árvores de natal e decoração, especialmente nos shoppings e lojas de departamento. Papai Noel na China é Sheng Dan Kuai Le. A exceção para isso  seriam os cristãos que vivem na China, e mesmo sendo um pequeno grupo da população, estamos falando de 44 milhões de pessoas.

Sun Yang vive numa cidade grande, Hangzhou, a capital e cidade mais populosa da Província de Zejhiang, e longe de ser cristão, ganhou um presentão e vai comemorar muito o Natal por lá. Ontem, a Suprema Corte Federal da Suíça anunciou a anulação do julgamento de novembro de 2019 e decisão anunciada em fevereiro deste ano que suspendeu o nadador por oito anos. Em comunicado resumido, sem detalhes, ficou identificado que  a Suprema Corte considerou um dos juízes como inadequado para o caso por manifestações públicas, consideradas racistas em redes sociais.

A Suprema Corte Federal da Suíça é a única, e última, forma de julgamento para uma disputa jurídica esportiva acima do CAS/TAS. Mesmo assim, a Corte não julga o mérito esportivo, apenas os ritos e processos de como se deu o julgamento. A Corte existe para garantir que o Tribunal da Corte do Esporte CAS/TAS, que está localizado em território suíço, mantenha os padrões e legalidades da justiça do país. Reverter casos do CAS/TAS são raros, algumas estatísticas falam em apenas 5% dos casos, outros mencionam que uma média de um caso por ano no total de 400 que são julgados anualmente.

No processo de apelação da defesa de Sun Yang foram apresentadas provas de que o juiz italiano Franco Frattini teria “intenção deliberada” contra os chineses e trouxe uma série de Tweets onde ficava evidente alguns ataques ao povo chinês pela crueldade com animais. Frattini é dos mais nobres integrantes do CAS/TAS. Duas vezes Ministro de Relações Exteriores da Itália durante o Governo Berlusconi ainda fez parte a Comissão de Justiça da Comunidade Europeia.

Analisando de forma detalhada, Frattini foi bem agressivo nos Tweets (estão publicados no Blog do Coach). Seus ataques são generalizados, ao país, aos chineses, mas nenhuma relação com o esporte, muito menos com natação ou Sun Yang. E também foram feitos muito antes do julgamento que aconteceu em novembro do ano passado. Coincidência ou não, Frattini intensificou suas postagens em defesa dos animais e contra a crueldade em recentes postagens, desta vez sem mencionar os chineses.

De qualquer forma, intencionalmente ou não, Frattini foi considerado inapto para julgar um chinês. A Suprema Corte Federal da Suíça identificou posicionamentos inadequados para quem deveria ter uma posição isenta para o julgamento. Isso ficou ainda mais evidenciado com um suposto comentário feito por Frattini nas 10 horas de julgamento de Sun Yang. Ao ter a mãe do nadador apresentada como testemunha, Frattini comentou sem se dar conta que o microfone estava aberto: “Realmente uma muito forte testemunha” e sorriu.

Ao anular um dos juízes, o julgamento, por completo, está anulado. Sem nem olhar para o mérito do caso, a Suprema Corte devolve o caso para o CAS/TAS que deverá realizar todo um novo processo. Novos juízes serão escolhidos, Frattini totalmente afastado, e nova audiência deve ser marcada.

Com o acúmulo de casos e a morosidade natural, o julgamento aconteceria ainda em 2021, talvez no segundo semestre, mas por se tratar de um caso de grande relevância, notoriedade e atenção mundial, com certeza, deve ser marcado o mais breve possível. Sou capaz de apostar que acontece no primeiro trimestre de 2021, em tempo suficiente para a presença ou não de Sun Yang nos Jogos Olímpicos de Tóquio.

Novo julgamento quer dizer nova oportunidade para Sun Yang e seu time de defesa. Como o mérito não foi analisado, a disputa volta para a mesa com as mesmas acusações e mesmas provas, é a chance de Sun Yang apresentar novos argumentos e evitar as trapalhadas, intencionais ou não, que marcaram as 10 horas de julgamento em Montreux, em novembro de 2019, e que foi transmitido ao vivo pela internet.

Um caso voltar para o CAS/TAS pela Suprema Corte da Suíça não quer dizer que ele vai ser absolvido, mas podem haver mudanças no andar do julgamento e diferença na punição. Da mesma forma, o resultado pode ser o mesmo, como foi o caso do tenista Guilllermo Canas da Argentina em 2007. Ele havia sido suspenso por dois anos no Painel de Doping da ATP, no CAS/TAS a suspensão caiu para 15 meses,  depois foi a Corte Suprema, conseguiu a anulação e, na volta, o CAS/TAS confirmou os mesmos 15 meses.

Em novembro de 2019, Sun Yang tinha um excelente grupo de advogados de defesa, mas os procedimentos foram confusos, problemas na tradução e o julgamento foi truncado. A decisão de ontem abre a oportunidade para ajustar tudo isso e, quem sabe, desta vez, ser mais convincente.

Gosto muito de Sun Yang, do nadador. Sua técnica é perfeita, para mim, é modelo, referência. Nada grande, alinhado, boa posição de corpo, economiza e sabe usar a perna na hora certa, puxada forte, o melhor caril do mundo na atualidade. Nem as viradas fracas apagam toda esta qualidade de nado.

Não gosto do Sun Yang, do personagem, o que ele mesmo criou. É grosso, tosco, inadequado no que fala, é bruto, indelicado. Violento mesmo! Talvez ele nem sabia que é tudo isso, mas é. Lembro dos Jogos da Ásia em Incheon, na Coreia do Sul. Ele e Tae Hwan Park sempre foram rivais, desde as categorias de base. Na competição, aniversário de Park, Sun Yang trouxe um bolo para a piscina. Abraços apertados e um pedaço de torta violentamente na cara do aniversariante. Até na boa intenção Sun Yang é bruto.

Não pensem que ele não é assim com os chineses. Estamos falando de um cara milionário, um dos mais populares atletas da China, 33 milhões de seguidores na rede social Weibo. Sun Yang é adorado e odiado. Sua imagem está intimamente ligada ao Partido Comunista da China. Ele é o atleta da extrema direita. Ou seja, tem muita gente, e como na China, sempre é muita gente, que não gosta de Sun Yang, odeia mesmo.

Há alguns anos ele brigou com seu treinador por conta de uma namorada. Depois foi bruto com repórteres durante uma competição. Ainda teve o acidente de automóvel sem nunca ter tirado uma carteira de motorista.

Na piscina este personagem também aprontou várias vezes. Bruto no aquecimento, acha que a raia é sua, e não dá para esquecer o confronto com Larissa Oliveira no Mundial de Kazan. O episódio quase gerou um conflito da delegação brasileira com os chineses na borda da piscina.

Naquele mesmo Mundial, Yang não queria nadar os 1500 livre, nunca quis, ele odeia a prova que foi campeão olímpico e recordista mundial em 2012. Desta vez, se recusava a entrar para a piscina onde teríamos a final. Antes da prova, atletas precisam se apresentar no banco de controle, nada de Sun Yang. Escalado para a raia 3, ele não apareceu e a prova largou sem tempo de chamar o reserva.

Enquanto isso, um grande confronto, discussão e muito barulho acontecia no vestiário. Oficiais e seguranças chineses fecharam o vestiário para eles e Sun Yang que por minutos discutiram sem nunca sabermos o motivo. Ao abrir a porta, a única coisa que se viu foi um par de portas dos armários destruídas por murros. Naquele dia, o treinador de Sun Yang apareceu na coletiva para dizer que seu nadador havia se sentido mal e por razões de saúde havia sido retirado da prova.

Sua mãe também é outro personagem desagradável desta história. Credenciais em Campeonatos Mundiais e especialmente em Olimpíadas é a coisa mais difícil do mundo de se conseguir. E ela está sempre lá, com a credencial e circulando por todos os lugares da piscina. Yang Ming é como o filho, grossa, mal educada, agressiva. Trata mal repórteres e até cobra por entrevistas. A TV Globo uma vez chegou a ser cobrada por 10 mil dólares em entrevista que decidiu não fazer.

Não acho que Sun Yang seja um dopado. Talvez aqui um dos pontos mais polêmicos deste editorial, mas há pouca (ou nenhuma) evidência para esta acusação. Ele testou positivo em março de 2014 para uma substância chamada Trimetazidina, uma medicação para o coração que entrou na lista das substâncias proibidas da WADA naquele ano. O teste positivo foi um teste fora de competição e Sun Yang não apresentou a TUE, Therapeutic Use Exemption, o formulário que comprova que o uso é aprovado por um médico. Ele toma o mesmo remédio até hoje, agora sempre apresentando a tal documentação.

No caso da controvérsia de setembro de 2018, para mim foi muito mais um ato de indisciplina (outro dos tantos) de Sun Yang do que uma infração de doping. Ele tem razão ao apontar que os fiscais de controle anti-dopagem estavam sem credenciais e autorização, mas jamais poderia ter destruído as amostras. O personagem Sun Yang mostrou todas as suas “qualidades” e criou mais este grande problema na sua controversa carreira.

Aliás, que carreira. São 37 medalhas internacionais, 23 de ouro. Em Olimpíadas, são seis medalhas, três douradas. Em Campeonatos Mundiais, os 11 ouros individuais só são batidos por Michael Phelps na história da competição.

Sun Yang é tudo isso, este magnífico nadador e este péssimo personagem. Resta saber se sua turma de defesa será capaz de apresentar elementos para minimizar os erros do primeiro julgamento, e talvez, pelo menos reduzir a sua suspensão. De qualquer forma, com o resultado de ontem, Sun Yang já pode treinar e competir, pelo menos até julgamento.

Até lá, o máximo que a gente pode fazer é desejar: “Sheng Dan Kuai Le”, ou seja Feliz Natal, pois o presente de Sun Yang ele já ganhou.

Alex Pussieldi, editor chefe da Best Swimming. 

1 responder
  1. Sandro
    Sandro says:

    Sun Yang e sua mãe e mentora Yang Ming são maus-caracteres, trapaceiros, arrogantes, prepotentes e pra lá de mimados… Pergunte aos nadadores Chad Le Clos, Larissa Oliveira, Marc Horton, Adam Peaty e muitos outros o que acham do mau-caratismo de Sun Yang… Em nenhum momento ponho a mão no fogo por esse trapaceiro do Sun Yang, achei um absurdo a brutalidade e a arrogância no episódio da quebra de frascos do exame antidoping. Quem não tem culpa no cartório não age dessa forma… O fato é que Sun Yang não joga limpo. É tipo um Dick Vigarista da Corrida Maluca. Mas isso só prova que o “CRIME COMPENSA”. Depois de a Rússia não ser punida exemplarmente pelo doping institucional, agora é a vez do Sun Yang se dar bem??? O certo é ser errado??? Isso é realmente deprimente!!!

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *