Dias 11 e 12 de junho, piscina do Maria Lenk, quatro nadadores que estiveram com a Seleção Brasileira Júnior e que testaram positivo para Covid farão uma tomada de tempo nas respectivas provas em que foram inscritos para a Seletiva Olímpica. Veja abaixo a situação de cada um destes nadadores, as provas e as marcas que eles precisam fazer para conseguir uma vaga no Time Brasil para Tóquio:

Alexia Assunção, Fluminense
100 costas
Melhor marca pessoal 1:03.30
Índice olímpico 1:00.25

200 costas
Melhor marca pessoal 2:14.62
Índice olímpico 2:10.39

Maria Luiza Pessanha, Pinheiros
100 costas
Melhor marca pessoal 1:01.46
Índice olímpico 1:00.25

200 costas
Melhor marca pessoal 2:13.12
Índice olímpico 2:10.39

Viviane Jungblut, Grêmio Náutico União
800 livre
Melhor marca pessoal 8:34.92
Índice olímpico 8:33.36

1500 livre
Melhor marca pessoal 16:27.31
Índice olímpico 16:32.04
Tempo para ganhar uma das duas vagas menos que 16:27.73

Vinicius Assunção, Fluminense
100 livre
Melhor marca pessoal 49.52
Índice olímpico 48.57
Tempo para fazer na manhã para ter direito a nadar pela tarde 49.22
Tempo para ganhar uma vaga no 4×100 livre menos que 48.83

200 livre
Melhor marca pessoal 1:48.57
Índice olímpico 1:47.02
Tempo para fazer na manhã para ter direito a nadar pela tarde 1:49.34
Tempo para ganhar uma vaga no 4×200 livre menos que 1:48.02

2 respostas
  1. Sandro
    Sandro says:

    Considero que fazer um tempo melhor que 48.83 segundos é um tempo bem possível de ser feito por Vinicius Assunção que é um atleta de apenas 20 anos que está em franca ascensão.
    Maria Luiza Pessanha, nos 100 m costas, e Viviane Jungblut, nos 800 m e 1500 m, também têm totais condições de conquistar suas marcas para a classificação.
    Talvez, para a Alexia Assunção, os 200m costas seja menos difícil que os 100m costas.

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *