O Brasil, por demanda das autoridades sanitária, teve de adaptar os índices de participação a Seletiva Olímpica em abril. COB e CBDA decidiram que as marcas B da FINA seriam o suficiente para compor o total máximo que estava autorizado para os eventos no Rio de Janeiro.

Aqui apresentamos um comparativo de como foi difícil para estar presente na Seletiva Olímpica do Brasil comparando as marcas com os índices de participação das duas maiores seletivas olímpicas do mundo, Estados Unidos e Austrália.

 

MASCULINO 

PROVAS BRASIL USA AUSTRÁLIA
50 LIVRE 22.67 23.19 23.51
100 LIVRE 50.03 50.49 52.2
200 LIVRE 1.50.23 1.50.79 1.54.22
400 LIVRE 3.53.58. 3.57.29 4.04.45
800 LIVRE 8.08.54 8.12.99 8.25.57
1500 LIVRE 15.28.02 15.44.89 16.06.66
100 COSTAS 55.47 56.59 58.74
200 COSTAS 2.01.03 2.02.99 2.08.53
100 PEITO 1.01.73 1.03.29 1.05.72
200 PEITO 2.14.26 2.17.89 2.22.39
100 BORBOLETA 53.52 54.19 56.87
200 BORBOLETA 1.59.97 2.01.19 2.07.88
200 MEDLEY 2.03.26 2.04.09 2.08.60
400 MEDLEY 4.21.46 4.25.99 4.38.21

 

FEMININO 

PROVAS BRASIL USA AUSTRÁLIA
50 LIVRE 25.51 25.99 26.91
100 LIVRE 56.01 56.29 57.57
200 LIVRE 2.00.80 2.01.69 2.06.17
400 LIVRE 4.15.34 4.16.89 4.26.87
800 LIVRE 8.48.76 8.48.09 9.10.48
1500 LIVRE 17.01.80 16.49.19 17.19.77
100 COSTAS 1.02.06 1.02.69 1.05.68
200 COSTAS 2.14.30 2.14.69 2.22.34
100 PEITO 1.09.08 1.10.99 1.14.34
200 PEITO 2.29.89 2.33.29 2.40.04
100 BORBOLETA 59.66 1.00.69 1.02.81
200 BORBOLETA 2.12.28 2.14.59 2.21.97
200 MEDLEY 2.16.54 2.17.39 2.22.23
400 MEDLEY 4.46.89 4.51.79 5.04.03
3 respostas
  1. Observador
    Observador says:

    Parabéns CBDA. Situação de covid no Brasil não é a mesma que nos EUA e Austrália.

    Para a segurança de todos os envolvidos, o melhor era mesmo utilizar índices mais difíceis.

    Passamos muitos anos colocando todo o FRACASSO da Natação Brasileira nas costas da CBDA.

    Está na hora de admitir que, ao menos nas últimas ações, está fazendo tudo corretamente.

    Responder
  2. Sandro
    Sandro says:

    Atitude certíssima da CBDA, a nova administração da CBDA acertou em cheio na escolha do ÍNDICE B olímpico para a participação na Seletiva Brasileira.
    Temos sempre que subir o sarrafo, aumentar a exigência e buscar melhoores tempos dos nossos nadadores.
    Mesmo assim, a natação feminina não conseguiu ‘NENHUMA’ nadodara com índice A nos revezamentos femininos brasileiros, isso é lamentável…
    Nem no 4×1000 livre, nem no 4×200 livre, nem no 4×100 medley, nenhuma nadadora que nada revezamento, mas nenhuma nadadora mesmo, conseguiu fazer um índice A, ao contrário da natação masculina que conseguimos vários índices A.

    Responder
    • Rodrigo G
      Rodrigo G says:

      E isso é TAMBÉM um problema para a CBDA resolver. Não é uma questão de culpa das nadadoras. Pelo contrário. É preciso mudar os rumos da natação feminina. Já passou da hora! Só não acho que deixá-las cada vez mais distantes dos grandes eventos seja o caminho, tampouco compará-las com os atletas do masculino.

      Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *