A judoca Ketleyn Quadros e o jogador de volei Bruno Resende foram anunciados ontem no Jornal Nacional como a primeira dupla de porta-bandeiras do Brasil nos Jogos Olímpicos de Verão.

Ketleyn Quadros foi a primeira medalhista feminina do judô do Brasil em Jogos Olímpicos com o bronze na categoria 57kg em Beijing 2008.

Bruno Resende campeão olímpico com o vôlei no Rio 2016 ainda tem outras duas pratas de Beijing 2008 e Londres 2012.

Com Ketleyn, o judô agora chega a três porta-bandeiras em Olimpíadas sendo que a última vez havia sido em 1992 com Aurélio Miguel.

Já Bruninho é apenas o segundo porta-bandeira do vôlei, repetindo Sandra Pires dos Jogos de Sydney em 2004. Na época, Sandra foi a primeira mulher porta-bandeira do Brasil.

Por esportes, o atletismo mantém a liderança do número de porta-bandeiras desde a primeira vez quando Afrânio da Costa do tiro abriu o desfile dos Jogos de 1920. São nove vezes do atletismo como porta-bandeira, e a última foi com Joaquim Cruz nos Jogos de Atlanta 1996.

A natação nunca teve um porta-bandeira na Olimpíada. Dos esportes aquáticos, João Gonçalves Filho do polo aquático foi o porta-bandeira de 1968 no México.

Veja a quantidade de porta-bandeiras por esporte:
Atletismo – 9
Iatismo, Basquete, Judô – 3
Pentatlo Moderno, Hipismo, Polo Aquático e Tiro – 1

3 respostas
  1. carlos oliveira
    carlos oliveira says:

    Coach, conferi; ele nadou em Helsinqui e Melbourne, os 100c, revezamento 4 estilos r rev 4×200. Nas 3 olimpíadas seguintes jogou polo aquático

    Responder
  2. carlos oliveira
    carlos oliveira says:

    Coach; não tenho certeza, mas o João Gonçalves Filho era nosso melhor nadador de costas nos 100m; se o Brasil mandou o rev medley para olimpíadas nessa época, ele deve ter aberto. Foi sucedido pelo Athos Procópio, outro paulista

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *