Na transmissão do último dia do Campeonato Brasileiro Juvenil em Porto Alegre foi mencionado que fazia muito tempo que o Sport Clube do Recife não tinha um nadador campeão brasileiro de natação. E fazia mesmo, são 15 anos de jejum quebrados com a vitória de Artur Vilela nos 100 metros peito Juvenil I com 1:05.87.

 

 

O último título nacional havia sido em 2006 e foi uma temporada incrível para a família Quirin. Naquele ano, os irmãos Hugo e Gaetan conquistaram três medalhas de ouro no Brasileiro Infantil de Verão. Hugo ganhou os 100 e 200 peito com recordes de campeonato e Gaetan levou o ouro nos 200 medley fazendo dobradinha com o irmão em segundo lugar.

Os irmãos Quirin deixaram o Brasil no ano seguinte. Com o pai diplomata estiveram no Chile e França, onde chegaram a competir em nível nacional até deixarem o esporte alguns anos depois.

 

 

A quebra deste jejum de 15 anos veio de forma especial com Artur Vilela. Afastado do Brasileiro de Inverno acometido de Chikungunya, Vilela teve grande performance em Porto Alegre com três melhores marcas pessoais. Primeiro ficou em quarto nos 200 peito baixando bastante seu tempo e quebrando um recorde estadual de categoria de duas décadas.

Depois veio a medalha de prata nos 200 medley tendo liderado boa parte da prova. Faltava a sua principal prova, os 100 peito onde abusou da sua velocidade imprimindo um ritmo muito forte desde o início. No parcial dos primeiros 50 metros algo em torno de 30.7. Fechou com 1:05.87, melhor tempo até do que o vencedor da categoria Juvenil II.

 

Artur e Fernando Martinez

 

Artur Vilela de Queirós nasceu em 10 de fevereiro de 2006. Atleta mirim revelado na Nadart de Sergipe, passou a ter destaque maior na mudança da família para Recife, onde sempre nadou no Sport Clube do Recife. Sob o comando do técnico Fernando Martinez junto com Manoel Neto e o preparador físico Ricardo Pinfildi o resultado de Porto Alegre fez esquecer a frustração de não ter podido nadar o Brasileiro de Inverno e quebrou esta longa sequência do clube pernambucano sem títulos nacionais no masculino.

1 responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *