A velocista australiana Shayna Jack teve a sua suspensão de doping reduzida de quatro para dois anos em decisão anunciada pelo CAS/TAS nesta segunda-feira.
Jack testou positivo para Ligandrol, uma substância proibida pela lista da WADA, em exame surpresa realizado durante um training camp em 26 de junho de 2019. No dia 21 de julho de 2019, ela foi suspensa preventivamente pela ASADA, Australian Anti-Doping Agency, e ficou de fora do Campeonato Mundial de Gwangju, onde era peça importante para os revezamentos da Austrália.
No dia 19 de dezembro do ano passado, a ASADA aplicou a pena máxima de suspensão a Jack, quatro anos. Sua defesa apelou e seu caso foi julgado nos dias 25 a 28 de setembro deste ano. Hoje, o CAS/TAS anunciou a redução da pena indicando que a atleta conseguiu comprovar a “não intencionalidade” no uso da substância. Os dois anos de suspensão são referentes a pena de negligência.
A redução de quatro para dois anos agora mantém Jack fora da natação até o dia 21 de julho de 2021. Durante este período ela é proibida de treinar em programas e clubes filiados a Federação Australiana de Natação e seguir orientações de técnicos oficiais. O retorno de Shayna Jack acontecerá dois dias antes do início dos Jogos Olímpicos de Tóquio, porém, sem índices de participação e sem poder participar da seletiva australiana, ela está fora da Olimpíada.
 

 
Veja aqui a decisão do Tribunal da Corte Suprema na íntegra:
decisaocastas
 

Shayna Jack, nasceu em 6 de novembro de 1998, 22 anos de idade, esteve no Mundial de Budapeste em 2017 onde fez parte de quatro revezamentos, duas medalhas de prata e duas de bronze. Sua última aparição internacional foi no Pan Pacífico de 2018, medalha de ouro no 4×100 livre. Jack treina no St. Pete Swimming Club com Dean Boxall, mesmo treinador e equipe de Ariarne Titmus e Mitch Larkin.
 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *